Loja Modelo: espaço atraente e organizado é fundamental

Loja Modelo: espaço atraente e organizado é fundamental

Na Loja Modelo montada na Feira do Empreendedor, visitantes têm todas as dicas para saber como ter um espaço atraente, bonito, confortável e bem organizado, o que é fundamental para ampliar e cativar a clientela. Sondagens do Sebrae-SP junto a clientes do Programa Comércio Varejista -- que nos últimos cinco anos atendeu 10 mil clientes em mais de 160 cidades paulistas -- mostram que a simples melhoria em aspectos de visual merchandising (fachada, vitrines, iluminação, organização interna e outros, num total de 20 itens) -- pode ampliar as vendas de 12% até 40%, muitas vezes sem necessidade de grandes investimentos.

Montada num espaço de 90 m², elaborado de acordo com modernas técnicas de ambientação, visual merchandising e automação comercial, a Loja Modelo é uma das ações do Programa Comércio Varejista. O modelo apresentado na feira reproduz o ambiente de uma loja de rua de roupas femininas. Os interessados são conduzidos em visitas guiadas e recebem orientação de consultores do Sebrae-SP sobre as principais dúvidas dos participantes do programa de varejo: como aperfeiçoar o ambiente, de que forma melhorar itens como vitrines e a organização do espaço e dos produtos? Os consultores mostram ainda a importância de fatores como precificação, adequação dos provadores e do espaço para trânsito de clientes, acessibilidade, iluminação e aromatização, entre outros. Sem considerar o valor do estoque, um espaço como o apresentado na feira custaria ao lojista perto de R$ 80 mil.

Mas nem todos precisam de um investimento dessa amplitude para montar ou aprimorar suas lojas de forma a ampliar as vendas e a rentabilidade do negócio. Quem explica é o consultor do Sebrae-SP, Gustavo Carrer. "Na experiência que temos com os lojistas, percebemos que em alguns casos, dependendo do nível de organização da loja, os resultados podem melhorar até sem necessidade de investimento ou com investimentos baixos, a partir de R$ 600 ou R$ 700. Quanto mais desorganizado o estabelecimento, maior a necessidade de estudar bem quais aspectos precisam ser melhorados, e como isso pode ser feito dentro dos recursos de que a empresa consiga dispor", destaca.

Dicas - O consultor lembra que a organização das vitrines e de espaços internos é fundamental. "A vitrine é o elemento mais importante para atração de consumidores. Ela deve expor a melhor amostra dos produtos que serão encontrados no interior da loja. E precisa chamar a atenção em poucos segundos. Os produtos expostos devem estar em harmonia, sem excessos que possam gerar poluição visual", alerta.

Na organização e distribuição dos produtos, Carrer explica que a Loja Modelo utiliza dois conceitos de agrupamento: são reunidos do lado direito, que favorece o acesso do consumidor, os produtos de consumo mais frequente e também os itens de compra por impulso, como bolsas, cintos e outros acessórios, geralmente de valores mais baixos e complementares à compra principal. Do lado esquerdo, que geralmente tem menor fluxo de pessoas, são colocados os chamados produtos de destino - aqueles que são o objetivo principal das compras. "Dessa forma, o cliente fica mais à vontade para escolher o produto principal que está buscando, num espaço menos movimentado, com mais tempo e tranquilidade para tomar sua decisão".

A loja também privilegia a iluminação direcionada, com foco nos principais produtos. Um cuidado especial é tomado na iluminação dos provadores, utilizando-se tonalidades quentes, que valorizam os produtos e não distorcem as cores. No item acessibilidade, a loja permite ampla movimentação às pessoas com qualquer tipo de dificuldade de locomoção, equipada com portas largas, layout com móveis que facilitam a circulação, e provadores totalmente adaptados para cadeirantes, com portas que abrem para fora e cabideiros em altura adequada. Os interessados em conhecer os program as do Sebrae-SP nesta e outras áreas podem ligar para 0800 570 0800.

Cleide Alves, paulistana que pretende montar uma loja de roupas femininas, de preferência na zona norte, gostou da Loja Modelo e das dicas dos consultores. "Trabalho como vendedora em uma empresa e também vendo roupas e acessórios em domicílio. Quando tiver minha loja, que será meu primeiro negócio, quero começar certo, de forma planejada. Já aprendi muito hoje: o que fazer e o que não fazer na montagem de uma boa vitrine; pensar em ter um espaço para que os maridos esperem as mulheres enquanto fazem compras; instalar etiquetas e equipamentos de automação comercial que ajudam a organizar a loja e a controlar os estoques. A visita valeu a pena.”

Sócios em uma loja virtual de vestuário esportivo, Júlio Ferreira e o filho, Thiago, devem aproveitar muitas das orientações dos consultores do Sebrae-SP na instalação de uma loja física, que esperam abrir no primeiro semestre de 2013, em São Bernardo do Campo. "Para nós foi muito boa essa visita. Nossa experiência é com as vendas virtuais. Muita coisa a gente não consegue perceber, como os cuidados que é preciso ter com iluminação, disposição de móveis e araras, arranjo adequado das vitrines. As dicas certamente vão nos ajudar.”

Clique aqui e veja a programação completa da Feira do Empreendedor