Estoque é dinheiro: planeje, controle e melhore a gestão

Estoque é dinheiro: planeje, controle e melhore a gestão

A gestão de estoque é uma ferramenta essencial para apoiar os principais propósitos de toda empresa: lucro e a satisfação dos clientes. “Quem faz um controle eficiente do estoque, frequentemente, consegue praticar melhores preços, atende com agilidade e tem mais qualidade no serviço prestado ou produto comercializado”, ressalta Reinaldo Messias, consultor do Sebrae-SP.  Ele explica que uma gestão de estoque feita de maneira adequada é aquela que, preocupada com o capital do negócio, está sempre respondendo a cinco questões básicas:

 Onde estocar?

Avalie o espaço físico da área de estocagem: escolha o ambiente, que permita as melhores condições de armazenamento, visualização, acesso e controle dos artigos.

O que está estocado e o que devo estocar?

Tudo pode, mas nem tudo deve ser estocado, principalmente, se for em quantidade não adequada com o consumo previsto. Tudo vai depender dos riscos que se corre em deixar acabar o item no estoque e o que este fato altera a relação com o cliente, considerando ainda o risco de sobrar material com validade inadequada ou fora de moda.

 

Na prática: suponha que em sua loja de roupas num centro comercial qualquer, você tenha uma vitrine, iluminada por 10 pequenas lâmpadas, onde são expostos os artigos que você mais deseja comercializar. Você necessita ter lâmpadas em estoque? Provavelmente não, pois se alguma queimar você pode providenciar sua reposição a qualquer momento, além do que uma lâmpada a menos não fará grande diferença para o desempenho da atividade. Por outro lado, se a vitrine tiver uma peça que não haja no estoque, você perde chance de promover uma boa venda e deixa seu cliente insatisfeito.

Quanto estocar e por quanto tempo?

Pense nas seguintes regras para responder a essa pergunta: o estoque não deve estar alto quando o caixa (dinheiro disponível) está baixo; e o nível dos estoques deve acompanhar a venda dos produtos.

Quando se tem uma previsão de vendas para o próximo período e as quantidades estocadas de cada artigo, basta acrescentar o tempo e a quantidade mínima exigida pelo fornecedor para repor os artigos a serem estocados.

Na prática: supondo uma venda de 10 unidades de uma determinada linha de artigos por dia e se seu prazo para reposição for de três dias, deveremos fazer um novo pedido quando a quantidade percebida em estoque for de trinta unidades, mais uma segurança para eventuais atrasos. É sempre bom, periodicamente, criar rotinas para avaliar se o que tem nos controles condiz com o que existe na loja, atividade conhecida como inventário. Essa rotina verifica a quantidade de acertos ou desvios que ocorrem no seu sistema. Fique sempre atento!

Como controlar?

Um computador pode ajudar muito nesse controle, entretanto, a informática não inibe erros de entrada, saída ou omissão. Quanto maior o número de itens que você trabalha na loja, mais fácil se torna o controle através de sistemas informatizados, entretanto, a percepção visual do empresário ajuda muito a detectar os itens faltantes. É fundamental acompanhar diariamente toda a movimentação do que acontece nos estoques de sua loja, pois você já deve ter sentido que isso trará muitos benefícios à sua operação e evitará que possíveis furtos, ocasionados por colaboradores ou consumidores.

Vantagens da gestão de estoque:

 • Utilizar adequadamente o capital de giro do negócio.

• Evitar atrasos no fornecimento de materiais e componentes.

• Suprir as necessidades de vendas na medida da demanda.

• Evitar a obsolescência e desvios de produtos e materiais.

• Adequar-se às cotas de fornecimento.

• Liberar espaços produtivos.

• Identificar produtos que estão sem giro.

• Conhecer a influência do estoque nos resultados financeiros.

• Estratégia frente ao capital de giro e o atendimento a clientes.

 

Os 5 mandamentos da Gestão de Estoque

1 Quanto mais área se ocupa com armazenagem, menos área se torna disponível para vendas!
2. Um lugar para cada artigo e um artigo em cada lugar. Artigos diferentes, locais diferentes, facilita muito.
3. Nunca estoque o desnecessário.
4. O estoque não deve estar alto quando o caixa (dinheiro disponível) está baixo.
5. O nível dos estoques deve acompanhar a venda dos produtos.

 

Dicas de Gestão de Estoques

• Planejar o estoque hoje é zelar pelo capital de giro amanhã!

• Inventários periódicos auxiliam na identificação de furtos ou desvios de estoques.

• O custo de aquisição dos artigos é importante. Mantenha-o sempre registrado!

• Sistemas informatizados ágeis facilitam controle, gestão e consulta aos estoques!

• Controle a validade e a aceitabilidade dos itens de estoques.

• Comprar bem é comprar o produto certo, na qualidade adequada, no tempo e na quantidade certa!

• O controle visual dos artigos estocados é tão ou mais importante que relatórios informatizados.

 

“O estoque é o coração da empresa”

É isso que afirma Eliane Domini, proprietária da empresa de eventos Bar & Barman, sediada na capital paulista. “Por muito tempo pensava que o coração da empresa era o comercial, isso foi um grande erro”, diz e acrescenta “é no estoque que está o meu dinheiro, é ali que eu tenho lucro ou deixo de ter”. Eliane contou que toda semana pagava uma média de R$ 3 mil só de quebra de copo, que era alugado. “Passei a controlar o meu estoque de copos, tudo o que ia para o evento para saber quando, onde e porque estava quebrando. Hoje gastamos apenas R$ 100 com isso”, revela.

A empresa quase quebrou devido à falta de controle. Hoje, Eliane controla tudo, e conta com a ajuda da filha, mas ainda sofre o reflexo da época em que não fazia uma gestão do estoque. “Tem que ser uma pessoa de extrema confiança para fazer esse trabalho, um profissional completo. Ou então, faça você mesmo”, recomenda.

Controlar tudo possibilitou também que Eliane reduzisse o preço de alguns serviços oferecidos, “o retorno de bebidas não consumidas em um evento para o meu estoque fez eu enxergar que o lucro era maior. Antes, isso não acontecia, tudo o que saia da empresa não voltava. Não adianta vender superbem se o desperdício é maior. Eu eliminei compras exageradas. Tudo enxugou a partir do estoque. Passei a não ter tanto prejuízo”.

 

Confira no JNMais exemplo de planilha de gestão de estoque e mais informações sobre o assunto: http://sebr.ae/sp/jnmais223

Leia mais na edição de novembro do  Jornal de Negócios